27/11/2016

Sacos, muitos sacos!

Olhando para as mensagens anteriores, reparo que já há muito tempo que não publicava nada. A verdade é que isso não significa que tenha andado parada, pelo contrário! O tricot é que tem sido um pouco negligenciado, em detrimento de outras atividades.

Hoje venho-vos mostrar uma pequena coleção de sacos. Digo coleção porque acho que nunca costurei tantos de uma vez, e não quis mostra-los antes de estarem todos prontos! Há sacos para todos os gostos e, com este formato, penso serem multi-usos. Mostro uma imagem de um deles com a minha mantinha (com cerca de 200 quadradinhos) para terem um pouco noção do tamanho e também para sugerir uma das possibilidades de uso: um saco de um projeto de tricot grande!

Mas podem ser usados como sacos de compras, são todos muito resistentes, ou simplesmente como bolsas práticas para o dia-a-dia.

Espero, sinceramente, que gostem! Cada saco é único e foram feitos com muito carinho.














19/09/2016

Tricotar para quem realmente merece!

Este é o mote das coleções Knitworthy da designer Ysolda Teague: "life’s too short to knit for anyone who doesn’t love what you make".

Saiu, na semana passada, a sua terceira edição e tenho participado todos os anos ativamente. Quando chega o Natal tenho sempre uma caixinha de prendas (exceto as que mantenho para mim!). Além disso são projetos pequenos que são ótimos para gastar restos de fios que tenho sempre por casa.

Sendo a Ysolda a super-criativa que é, há sempre técnicas novas que tenho aprendido com todos estes pequenos projetos.

O primeiro projeto deste ano são umas luvas sem dedos, chamadas Belyse, e já fiz as minhas!



No ano passado (coleção Knitworthy 2) o primeiro modelo foi um xaile, o Liebevoll:



E há dois anos, na primeira coleção Knitworthy, o primeiro modelo foi um gorro, o Bronntanas.


03/09/2016

O último casaco de agosto

Tinha-me proposto tricotar três casacos em agosto, bem como terminar o xaile que tinha começado do Stephen West. Foram projetos ambiciosos, mas consegui! Aqui está o último deles. Agora é tempo de planear o próximo ano, mas antes disso ainda vou de férias.


Este casaco foi tricotado no fio mongolia 3 da fonty, que comprei na minha visita à loja Tricot das CInco. É um modelo muito simples, e atraiu-me precisamente por isso!

25/08/2016

Um casaco diferente...




Este casaco é um dos projetos que mais gosto me deu fazer nos últimos tempos, e isto por várias razões.

Mas começando pelo início...

Começou com uma mini-meada que recebi numa troca com a Filomena (AKA Yarn Adventures), pintada por ela. É a cor que podem ver no corpo do casaco (o cinzento). Lembrei-me então de fazer um casaco, usando esta cor e os tons que aparecem misturados no cinzento (o roxo, o azul e o amarelo). Tinha pensado noutro modelo na altura, mas pedi à Filomena que me pintasse essas cores - e isto sim, é um privilégio!

Entretanto, cruzei-me com este modelo e decidi que ficaria muito bem com estas cores, apesar de não saber ainda como as iria colocar - a Filomena deu, também aqui, uma ajuda preciosa!

O modelo, em termos de construção, é muito engraçado porque começa por ser um xaile triangular, e todo o casaco surge daí. Se quiserem espreitar o modelo chama-se hoodie shawl cardigan.

Como podem ver pelo resultado, as cores e o modelo resultaram ainda melhor do que tinha antecipado!



21/08/2016

Organização no tricot

Uma pergunta que ouço muitas vezes é: "o que fazes a tantos xailes?", seguida de "como arrumas tantos xailes?".

Respondendo à primeira pergunta, não tenho todos os xailes que fiz, muito provavelmente nem metade, já que ofereço vários deles. Arrumo-os como arrumo o resto de toda a minha roupa, seguindo o método japonês, apresentado pela Marie Kondo no livro The Life-Changing Magic of Tidying Up. Isto significa que esta gaveta reservada para os xailes é a medida para o número de xailes que guardo para mim - se já está cheia, para entrar um novo tem de sair um que já lá está.
Tudo o que seja relacionado com tricot, para mim, tem de estar perfeitamente arrumado e organizado.

Em relação aos meus fios (stash), já vos mostrei há uns tempos um filme.

As agulhas, marcadores e outros acessórios de que preciso estão numa mesa de suporte ao lado do sofá onde costumo tricotar.

As mini-meadas estão numa outra mesa, atrás do mesmo sofá. As da casinha à esquerda são as que ainda não entraram na manta de restos, as da direita são as sobras das primeiras.

16/08/2016

Ravellenic Games 2016

À semelhança da edição anterior dos Jogos Olímpicos, estão a decorrer no Ravelry, em paralelo com os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, os Ravellenic Games 2016.

 Há várias categorias equiparadas a alguns dos desportos, sendo que eu estou a concorrer na categoria de WIPs Wrestling, ou seja, luta de trabalhos em curso.

Já acabei o xaile que vos mostrei ontem, e como estava com a mão na massa, tirei fotos de um casaco que tinha terminado já na semana passada.

A particularidade deste casaco, ou melhor, uma delas, é que pesa pouco mais de 100g! Mal posso esperar por dias mais frescos para usar esta nuvem quentinha.

O fio que usei foi malabrigo lace, na cor burgundy, que comprei na loja Tricot das Cinco, na minha visita em abril passado.




15/08/2016

Mais um projeto Westknits

Este é o meu 19º projeto Westknits, e sempre que faço outro penso porque é que passei tanto tempo para o fazer. Todos os projetos dele são simples, diferentes, e um prazer de tricotar. Este deu alguma luta porque terminou com 955 malhas!!!! Mas é enorme e eu adoro xailes enormes.